domingo, 7 de junho de 2020

O Mestre da Masmorra

A Força


Tormenta como cenário coeso e com historias interligadas hoje é o mundo de RPG com mais fãs no Brasil, não é surpresa contudo ver as versões de tormenta que cada narrador e jogador possuem na cabeça se colidirem pois cada um vê os cenários de suas historias da forma como desejam não é? Para muitos Tormenta é um mundo alegre apesar da sombra da tempestade, é um mundo com vilas ocultas de ninja onde você desafia o mau com seu shinigami usando uma katana ou usa um monge de tamura capaz de lançar rajadas de Ki de suas mãos. Sinto muito pelos exemplos puramente Otakus de animes shounem, mais eles particularmente me assombram.

Para outros Tormenta é absolutamente terrível, quase uma masmorra gigantesca o cenário é violento com as ameaças da Aliança Negra, Dragões, da dita tempestade que da nome ao cenário inclusive, tormenta é um mundo onde os bravos empunham espadas para defender a si mesmo e aqueles que amam dos perigos desse mundo terrível, apesar de ser algo mais próximo do que eu costumo preferir não sou um mestre de colocar fatalismo em minhas historias, coragem, força e piedade, se não piedade pelo menos empatia, são virtudes que eu gosto de ver em meus jogadores são virtudes que eu recompenso com pequenos momentos narrativos ou fazendo com que elas abram portas no mundo. Dito isso Tauron o deus da força foi o que mais me decepcionou nesse quesito, deveria ser um dos meus favoritos não é? afinal, força e coragem, em retrospecto pode parecer inútil discutir isso agora visto os acontecimentos atuais do cenário mais vejo de forma diferente. É o momento perfeito para discutir.

Muitos jogadores de rpg e mestres assumem características mais simples para o Panteão onde cada divindade é aquilo que ela é, poucas são as excessões e em tempos idos com o conteúdo oficializando que Tauron não é a Divina Serpente nem uma outra de suas encarnações por raças mais bárbaras meio que engessou bastante o conceito dele como divindade, representações sobre a visão de Tauron sobre a força em meu cenário eram muito mais filosóficas do que apenas pujança muscular mais tais representações causavam alienação em meus jogadores que esperavam uma divindade nos padrões de Hulk esmaga e quando heróis épicos chegaram a falar com minha versão de Tauron se surpreenderam com um intelectual. Em resumo Tauron da forma como existia devia ser simples para encarnar um conceito e para se manter nele mais eu o achava raso, não errado apenas menos do que deveria ser pela visão de força ser a física e dominância ser uma forma de pagar por proteção, essa que era como a oferecida por gangsteres, de ser protegido dos seus protetores.

Imagino que o texto agora vai achar muitas vozes que discordam dele devido a minha própria interpretação filosófica de Força contudo la vai ela, Tauron e os minotauros não são fortes, pois força como virtude não vem de dominar o mais fraco e exigir dele tributo por proteção, ela não se resume a pujança muscular ou formas de matar alguém, as interações entre seres que se resumem a "quem é mais forte" são vazias a níveis absurdos e a arrogância que pauta os minotauros sempre me deixou desconfortável como algo mais terrível que a visão racista dos Yudenianos pro duas razões, porque se pautava em uma religião se travestindo de virtude, ou por nunca ser vista de fato como racismo afinal os minotauros serem de fato de uma raça não humana não isenta a visão como algo terrível, possivelmente foi o que os autores quiseram passar contudo como mestre vi poucos jogadores verem dessa forma.

Mas dando um exemplo de manga, para aqueles jogadores que não entenderam a forma de pensamento que quis passar e iriam apelar para "Tormenta é um cenário baseado em animes e animes são assim, com força sendo definida como a forma de vencer outro" em vagabond, apos um dos maiores feitos de Musashi como mito, ainda que ele tenha existido, onde ele venceu 60 espadachins, um feito inacreditável claro, digno de uma verdadeira lenda, o samurai se vê em uma espiral de violência, com vontade e corpo quebrados Musashi se sente perdido, perdendo-se mais e mais nessa espiral de sangue que se tornou sua vida, não ajuda a percepção de que ele não matou 60 homens e sim 60 famílias, pois dependiam dos agora mortos espadachins. Musashi se livra dessa loucura quando no volume 28 numa pequena vila que tem a plantação destruída por gafanhotos ele tenta tratar a terra para que ela reviva e possa ser usada novamente para plantação e assim tenta salvar aquelas pessoas da fome, tal feito não envolve matar pessoas e sua habilidade com a espada e a força pelo qual ele é conhecido de nada vai ajudá-lo com essa empreitada. Já vi jogadores quebrarem em momentos parecidos, quando colocados em situações onde precisam conviver com outras pessoas, em relações que não giram em torno de "quem é mais forte".

Nesse arco também Musashi é convidado a dar aulas a pessoas comuns que são apaixonadas pelo caminho da espada como forma de expressão e disciplina, uma vez a cada três dias ele se reunião para treinar sem restrição de idade onde se relacionavam de maneira saudável e exercitavam seu companheirismo, esses homens são pessoas de dedicação, carinho e comunidade e Musashi é acolhido como outro amante do caminho da espada, sem discriminação ele é aceito como um igual. Para Musashi sempre tratado como um demônio ou um selvagem foi um ponto de ruptura em sua personalidade. Quando se vendo em meio aqueles homens, nenhum especialmente habilidoso ou dedicado mais com qualidades que ele se via admirando pela primeira vez o mesmo diz "vocês são muito gentis. Vocês são pessoas fortes".

A força como virtude não existe se ela é usada para subjugar os fracos, isso é fraqueza. A coragem como virtude não existe se usada para justificar abusos contra pessoas que não podem reagir, isso é covardia. Proteção em troca de escravidão não é um tributo apropriado, isso não é proteção é abuso. Usar "isso é lógica de anime" para justificar isso e falar "é outra cultura e uma cultura fantasiosa" para falar que isso é valido em sua campanha ou que seu personagem um clerigo de Tauron "bondoso" leva uma garota a ferros por ai que ele estupra sempre que deseja, os convido a ler Lua dos Dragões e ter a mesma epifania que as dragoas caçadoras tiveram ao verem o guardião do bosque das teias como reflexos de si mesmas, que antes acreditavam ser seres bondosos que retiravam aqueles que não podiam lutar pela própria sobrevivência nas selvas do planeta, a se ver como realmente eram, monstros maléficos.

Apesar do escrito acima e se os que não concordam com o que eu falei sequer chegaram a esse ponto, não falo para mudarem os minotauros e sim entenderem porque como estão no momento eles são vilões, mais acima de tudo os convido a repensarem a violência como forma de poder em comparação a gentileza que mesmo sendo um gesto tão pequeno possui nele a verdadeira força. E se você esta com duvidas sobre "como fazer um clérigo de Tauron bondoso" embora tal dicotomia em verdade vai se acabar quando sair o T20 sei que muitos gostam de jogar "no passado do cenário" então minha dica seria, esqueçam os escravidão como forma de tributo e aceitem a gratidão, gentileza, admiração daqueles que salvarem pois é um premio melhor e mais valido. Esqueçam os atos para provarem sua coragem, a coragem não se prova como algo nascido de um sentimento narcisista ela existe e se prova quando necessária, quando mesmo com medo você não recua porque tem uma razão para se manter firme, na duvida lembrem-se das palavras do Gandalf para Galadriel em o hobbit, ainda que o filme seja praticamente uma historia nova e não uma adaptação vejo essas palavras como algo que de fato sairiam da boca do sábio mago. Quando perguntado pela senhora de Lorien "porque levar o pequenino" Gandalf responde "Porque eu tenho medo e ele me da coragem".

terça-feira, 26 de maio de 2020

Trevas Na Terra de Santa Cruz


Tártaros

Deixando fortaleza em direção ao sertão do mundo fui pego por um encontro estranho e talvez fortuito, guerreiros Crimeios desejavam um guia  para a frente de batalha para o Paraguai, o dinheiro não seria ruim contudo o povo possui medo dos Crimeios, sua magia, sua aparência, seus costumes e roupas exóticos trazem o medo do desconhecido ao povo comum que ainda carrega o supersticioso que os povos europeus possuíam na época que os atuais Crimeios eram os maiores conquistadores do mundo, cavalgando da atual união Rusvietica ate os pontos mais distantes da Ásia, um povo de cavalos, arcos e espadas cujo o nome para os europeus é sussurrado ainda com medo, Elfos.
"Os povos Tártaros foram pegos de surpresa pelo avanço bélico da Europa e agora procuram acompanha-lo"

Conversando com os guerreiros durante a viagem consegui pescar algumas informações, uma vez que não desejei ser muito invasivo e me apresentei também como um historiador, eis meu interesse em levá-los para a batalha pois iria para ela com a intenção de registrá-la, pura mentira, o front do Paraguai pra mim era um inferno que desejava me afastar, impressionante como uma visita a fortaleza mudou tudo, tanto que talvez pegue em armas e se morrer na mesma não sentirei muito por morrer em uma vala de sangue, não é como se eu já não devesse ter morrido um século atrás talvez.

Esse grupo em particular de Tártaros veio por ordem do Khan da Crimeia como um acordo feito pelo nosso império com aquele povo, de troca de tecnologias por ajuda, o Paraguai é ajudado pelo poderoso império saxônico e os lusitanos estão com a própria crise para enfrentar estamos praticamente sozinhos nessa batalha onde qualquer um imaginaria uma derrota esmagadora, apesar de tudo ouço que a resistência na fronteira se mostra heroica, aparentemente interessados nessa guerra e temerosos pela mudança do mundo que a ultima grande guerra na Europa trouxe, os Tártaros desejam se adaptar as novas tecnologias mecânicas desenvolvidas em fabricas. Embora mostrem pouco gosto por tais acontecimentos, sabendo da historia dos nativos da America do norte e dos motivos da guerra deles com os colonizadores, vendo também as guerras asiáticas contra os saxões, vêem nisso um espelho deles próprios e que serão superados por essa nova tecnologia, garantir a paz exige armas poderosas e o uso de gigantes, gostando eles ou não.

Os Tártaros são um povo um pouco mais baixo que os Europeus no geral contudo suas técnicas são espantosas, maravilhosas, suas roupas de couro e seda com pequenos adornos de metal são muito resistentes a perfuração a ponto de eu mesmo ter visto que após um ataque de Tapuias os Elfos apenas retiraram as flechas que não perfuraram a seda de suas roupas, sua batalha em cavalos e fora deles é assustadora, rápidos como poucos homens podem ser, seus arcos recurvados como um “meio oito” embora menores que os gigantescos arcos tupis parecem possuir a mesma potencia de perfuração, vi atravessarem o peito de um tapuia com uma flecha certeira, carregam laminas retas ou as vezes recurvadas para dentro de sua própria lamina possuem áreas de corte maiores facilmente decepando membros diferente dos facões e machados que costumo usar, não vi muito de sua magia a não ser uma anciã que conseguia curar os guerreiros, naturalmente não quiseram mostrar-me muito do que são capazes utilizando apenas a força necessária para se defender nessas terras, se lutavam assim antes dos europeus usarem os gigantes para a batalha não é a toa que eram um povo temido e consigo ver facilmente milhares desses homens dominando o mundo por meio da força, não apenas a pericia em combate deles era elevada como a de se encontrar no terreno, de saber ler o vento e a partir dele farejar a chuva e o calor e se preparar para ambos, acostumados aos sertões e serrados como se não tivessem vindo de uma terra de pastos e frio. “Muitas terras já visitamos” foi a resposta recebida a minha pergunta sobre o costume deles nessas regiões.

Embora demonstrem espanto pelos males sobrenaturais dessa terra se surpreendendo por seu numero, reconhecendo que eles existem em todos os cantos do mundo como se o próprio planeta exigisse o absurdo da existência do inexplicável, nunca viram um local povoado a ainda possuir tamanhos assombros e ter alguma luz de civilização. A viagem agora será longa e duvido que conseguirei mais detalhes deles do que já consegui, hora de se concentrar em minhas próprias armas e na guerra que estou indo ao encontro.

Elfo (Tártaro)
Custo: 0 pontos

Tradição Bélica: Guerreiros que jamais se permitem ficar obsoletos, resistentes e fortes os Tártaros procuram adotar e adaptar as novas formas de confronto a seu modo de vida. Personagens Tártaros recebem PdF +1 e R+1.

Sobrevivente Nato: Apreciadores de regiões ermas, distantes de grandes centros urbanos os Tártaros conhecem como poucos os segredos para se sobreviver em regiões hostis. Para eles a pericia sobrevivência custa 1 ponto.

Código de honra dos povos livres: Valorizando a liberdade como uma das maiores virtudes, os Tártaros não aceitam comandos ineptos, forjar alianças, auxiliar amigos e ouvir opiniões é possível e recomendável, mais suas ações serão suas e sempre deve fazer o que lhe parecer correto.

Sanguinários: Considerados bárbaros por vários povos ao longo da historia os Tártaros sofrem com a desvantagem má fama.

domingo, 10 de maio de 2020

Brigada Ligeira Estelar

Janizaro 
Escala: sugoi
F1 (energia), H0, R2, A2, PdF1 (perfuração); 10 PVs, 10 PHs. Mecha, Aceleração, Adaptador, Ataque Especial (Força), Sentidos Especiais (infravisão, radar, visão aguçada), Voo. Bateria.

Modelo irregular usado para integrar forças ofensivas de nobres em Ottokar, o Janizaro é rápido e mortal, poderoso como sua contraparte regular o hussardo, contudo sua visão assustadora não carrega o mesmo ar de heroísmo e bravura, talvez pela fama de seus pilotos

Brigada Ligeira Estelar

Mosqueteiro

Escala:nigen

F1 (impacto), H0, R2, A3, PdF3 (perfuração); 10 PVs, 10 PHs.
Aceleração, Adaptador, Ataque Especial (Dano Gigante).
Bateria, Munição Limitada.

Um blindado utilizado por pilotos de apoios, uma arma rápida e protegida diferente do dragoneiro, uma boa evolução da função contudo o mosqueteiro possui grande vulnerabilidade diante de ataques de mechas gigantes muito mais poderosos, sua blindagem mal resiste a 1 golpe de um hussardo ou mesmo lanceiro contudo seu modelo de controle eletrônico permite que apenas um piloto consiga eficiência total ao pilotar essa maquina diferente de blindados semelhantes do passado.


terça-feira, 7 de abril de 2020

Masmorra Bagunçada

Postando hoje o texto de uma seção de RPG a qual fiz parte e foi jogada no dia 06/04/2020

NARRADOROntem às 15:49
6 de Junho de 1944 , um dia histórico . As tropas aliadas desembarcavam nas terras da Normandia, o som dos panzers e contratorpedeiros era ensurdecedor. Marbas se deliciava o com sangue derramado por toda Europa... E feito enxame de abelhas , tropas paraquedistas se lançavam contra a chuva de metais incandescentes disparados pelas metralhadoras anti aéreas.  O vento trazia gritos ecoados sobre as praias de uma cidade . Meninos se tornavam homens diante daquela ameaça que visava ter o controle total da europa. Fuzileiros, Paraquedistas, Negros , Brancos, Judeus , Americanos marchavam sobre trincheiras , O sangue das vitimas do holocausto deveria ser vingado ... Nações se uniram sobre uma única bandeira. A batalha por um porto se iniciou . Feito um leão negro que rugia trovões a cada disparo , um panzer avançava sobre as areias contra as tropas aliadas. Um jovem católico via a chegada do Leão de ferro e Aço . Segurava com suas mãos um terço de de alguma divindade de seus antepassados gregos, enquanto o suor escorria por sua face.., só um milagre para que aquela morte fosse evitada. Como vinagre em sua garganta ele rezou ... E como colírio em seus olhos um míssil havia atingido o panzer. A claridade da explosão quase o cegara, por pouco não fora atingido em suas costelas se um companheiro de guerra não o tivesse puxado. Ao recobrar a sua consciência e visão notava que aquele míssil... tinha asas...


6 de junho de 2020
Uma cidade ao leste europeu comemora um grande feriado , 76 Anos do Grande dia D e Aniversário de 50 anos de uma das mais proeminentes cidades do leste Europeu, Darkheaven. A Cidade da Vitória . Darkheaven , o paraíso negro como fora fundada é uma cidade histórica, de arquitetura única e com costumes variados , a diversidade se encontra em todos os cantos ... Bairros em ascenção . disputas políticas por polos industriais ... dissenções raciais e sociais...
Darkheaven possui mistérios sob seus becos escuros mistérios que o mundo desconhece. Anteriormente uma base de campanha alemã dos periodos do Reich, Darkheaven era um campo de horrores que fora limpado pelas forças aliadas e hoje é uma  Megalópole com seus arranha-céus e infra estruturas invejáveis .
Nos becos de Darkheavem em um bairro chamado Blocos Cinzas , um homem bebe e vê um desfile cívico-militar , este homem se encontra em meio aos trapos... ele talvez seja mais um indigente que a sociedade hipócrita diz chamar de mendigo ... entre Balões Vermelhos Azuis e Pretos
Uma banda marcha com seus instrumentos reluzentes. Bailarinos e Bailarinas dançam feitos andorinhas sob o céu azul ... Familias sorriem . e o mendigo com sua garrafa de aço carregando um licor barato observa a fanfarra. As pessoas não fazem idéia . mas aquele mendigo esconde um segredo ...
o sujo maltrapilho é apenas uma casca ...
>>
RogerOntem às 16:03
pegava a garrafa e me afastava do desfile, estava de saco cheio dessa festa, embora fosse mais simples conseguir algo para comer ou beber durante esse tipo de festivais, não sabia mais se essa frustração era minha ou apenas herdada, não desgostava dessa nova sina, era infinitamente mais fácil passar frio ainda que antes não conhecesse essa sensação que permanecer no outro canto, dando uma ultima olhada na banda que desfilava pela rua, bebia um gole de licor antes de me enfurnar na direção de um beco para achar algum bar barato ou televisão ligada para me entreter e passar algumas horas desse dia
>
NARRADOROntem às 16:22
Um rato passa por entre as pernas do maltrapilho. Os som aos poucos se vai e  o aroma do chucrute ao molho vinagrete tipicamente feito tradicionalmente para venda nesta data aos poucos da lugar ao aroma fétido de urina de um banheiro químico, esse cheiro trás lembranças a mente do mendigo. O cheiro de enxofre misturado a bilis de diversas almas presas no Sheol , seu verdadeiro reino de origem ...
Ele perambula com mais uns trocados no bolso e encontra um boteco com uma porta fechada . Ele adentra o local pessoas bebem e comemoram o feriado a sua maneira. Uns jogam cartas. outros estão debruçados sobre uma mesa circular cheirando cocaína. na televisão mostra-se o desfile , O maltrapilho se ajeita em um canto e observa a tv  onde uma mulher morena com cabelos presos se pronuncia.
" Aqui é Mikaela Diyer  com NOTICIAS URGENTES : Uma manifestação por direitos civis se inicia no cruzamento da Major Wesley com a Tenente Patrício. O grupo de manifestantes protesta devido a alta violência policial acometida contra os moradores dos distrito de Blocos Cinzas..."

>>
RogerOntem às 16:26
sentava-me no balcão e enquanto via as noticias dizia com uma voz meio cansada e um pouco carregada pela embriagues - Não tem  nenhum filme passando? sei la.... Rambo programado para matar... nas seções das tardes sempre passam filmes velhos e divertidos - respirava fundo e bebia um golpe de licor - alguma coisa pra passar o tempo que não sejam essas noticias chatas e repetitivas - aproveitava estar sentado no balcão e procurava um indicativo do preço das bebidas ao mesmo tempo que verificava se tinha algum dinheiro consigo
>
NARRADOROntem às 16:34
Enquanto folheava o prospecto de bebidas e procurava a que mais se adequasse a seu pífio orçamento , o maltrapilho ouvia da boca de um velho mau encarado que estava assentado nas mesas por detrás da sua .
"malditos imigrantes somalianos , esses merdas conseguem acabar com qualquer tipo de festa com esse mimimi todo ... Essa gente não sabe ser bem agradecida...."
 --------------------------------------------------------------------------------
NARRADOROntem às 16:49
Darkheaven possui dentre seus habitantes os mais diversos tipos de pessoas , desde socialites infiéis a bons samaritanos pobres ...
E dentre uma das áreas mais conhecidas de Darkheaven se encontra o bairro das Palmeiras . Um local com altamente badalado pelas pessoas mais requintadas e belas de Darkheaven... com pubs movimentados e com o mais variados tipos de pessoas . Músicos excêntricos  , dançarinos de rua com estilos próprios , casais apaixonados e um homem observa fascinado aquela variedade de pessoas etnicamente diferentes , divergentes e sorridentes . Em um pub um homem se encontra sentado bebendo uma taça de vinho barato porém adocicado em sabor. uma brisa sopra levemente seu rosto e ele observa como os humanos agem ...
Entre um gole e outro ele vê um menino... com pele escura e ao pedir esmolas é ignorado como se fosse invisível. Sons de tambores podem ser ouvidos ao longe conforme como se uma procissão se aproximasse, ele sente seus sentidos sensíveis a cada batida ... Entretanto a musicalidade feliz ao longe se funde a gritos de revolta e inconformidade. E em meio a tudo isso o homem observa o menino indo de mesa em mesa só para pedir um trocado ...
>>
FeharelOntem às 16:54
Observava os humanos interagirem com algum tédio inicialmente, embora sempre houvesse alguma pequena ação que me surpreendesse, mesmo depois de tanto tempo, logo que percebia o menino eu notava como os demais o tratavam, preconceito e falta de compaixão eram uma característica da humanidade desde que eu a conhecera à muito tempo atrás.

Eu pensava em como deveria reagir a isso, era realmente justo que eu interferisse com a humanidade? Não conseguira uma resposta mesmo depois de tanto pensar, talvez eu devesse apenas comprar alguma comida para o menino, mas isso não mudaria a sua vida, mesmo que ela fosse curta, ainda assim eu separava uma nota de cem.. da moeda que circulasse agora, eu nunca me recordava dos nomes, eles mudavam tão rapidamente.

Esperava o menino se aproximar enquanto olhava na direção do festival e também da revolta, era estranho e ao mesmo tempo natural, como as duas metades de uma moeda.
NARRADOROntem às 17:06
Conforme o garoto se aproximava e abordava as pessoas e o homem o observava, ao fundo os sons do desfile se cessavam ... E os sons da revolta aumentavam ... Conforme o os gritos de revolta aumentavam sons de sirenes se aproximavam , o garoto se aproxima da mesa do homem ...

Menino:"Moço o senhor teria um trocado para me ajudar ? meu pai trabalhava na fábrica de ferro mas ficou desempregado. Só a mãe trabalha agora .... eu tenho aqui um pacote de jujubas Pigmel, estou vendendo por 50 centavos cada uma o senhor gostaria de comprar ??" estendia a o garoto com a caixa de jujubas em mão
>>
FeharelOntem às 17:08
Eu continuava prestando atenção a revolta, dessa vez mais do que ao menino, porém quando ele se aproximava eu sorria e colocava a nota de cem na mesa. - Você pode ficar com a bala, eu só quero que gaste esse dinheiro da melhor forma que puder, tudo bem? - Dizia, entregando a nota para ele. - E fique longe dessa bagunça. - Murmurava depois, voltando a olhar na direção de onde eu ouvia os barulhos, minhas orelhas doíam com o som das sirenes.
NARRADOROntem às 17:12
"Nossa 100 euros !!!!" Exclamava de excitação o garoto " Muito obrigado moço que Deus lhe pague" ... O garoto saía em disparada disparada de felicidade de volta ao lar...
Ao olhar a felicidade do garoto , O Homem se sentia bem com a boa ação que havia feito ...
Porém como um clique mental , ele ouviu o som das cirenes se aproximando e circundando o Local e se aproximando . Tendo uma noção espacialmente ampla sobre seus própios sentidos o Homem se levanta e nota que as sirenes estão indo em direção a o desfile e aquele som passa a incomodar vêemente o homem
>>
FeharelOntem às 17:19
Apenas sorria para ele, embora duvidasse que qualquer deus desse lugar iria me pagar algo, por fim me levantava quando o barulho das sirenes parecia insuportável, pensava em seguir até o desfile, que provavelmente se tornara uma revolta, mas desistia, eu sabia que não haveria muito o que eu poderia fazer lá, então eu apenas pagava e saia, procurando por um local mais calmo para esperar essa comoção passar.
NARRADOROntem às 17:39
-------------------------------------------------------------------------------

De todos tipos de pessoas que habitam Darkheaven , uns são mais exóticos que os outros ... Dentre todos os bares de Darkheaven um especialmente é mais exótico e incrível que todos. Ele se chama The Lake Maiden . Um pub único onde bandas de rock alternativo se apresentam com recorrência , poetas e poetizas da noite declamam obras dignas de bardos. Membros de motorclube se reúnem para jogar sinuca e contar suas andanças por essa terra .... Um local animado e tranqüilo onde caminhoneiros podem encontrar um local para passar a noite antes de partir para próxima viagem .  O clima sempre é de festa dentro deste bar de beira de estrada . Como se tivesse algum encanto sobre o local ... O que poucos desconfiam é que realmente há um encantamento e o bar é muito mais que um bar ... Ele foi construído como um altar moderno ao deus Baco. Ele é controlado por uma dama ruiva que sempre está com seu cigarro em mãos .... Ela se chama Dr Carmen , uma mulher respeitada por todos os frequentadores do bar , e ai de quem se aproximar dela sem respeito ... Logo é retirado do bar por todos motociclistas mal encarados.
Carmem é uma maga Irlandesa muito bela que não aparenta ter a idade que tem . Ela possui um filho ... Um jovem chamado heitor que sempre se encontra sobre a mesa de Bilhar a Jogar partidas valendo dinheiro e bebidas.. Sobre a borda da mesa sempre algum livro velho e empoeirado com inscrições que nenhum mortal jamais irá conhecer ...
>>
Heitor — ArgentumOntem às 17:45
– No dia em que você parar de ser uma chaminé, eu passo a comer legumes e verduras –

 Sorrio ao olhar para Carmen, pego uma dose de whisk, ajeito meu relógio após colocar o mesmo na hora correta, e sigo na direção da mesa de bilhar. Após um gole, coloco o copo na borda da mesa, e começo a jogar sozinho.
NARRADOROntem às 17:49
Carmen :" Garoto , Eu não vou morrer por causa de cigarro , mas você vai engordar agora solta esse taco e vai buscar lá trás para mim 3 garrafas de Scotch Label para mim !!",
>>
Heitor — ArgentumOntem às 17:52
–Você até pode não morrer, mas quem estiver do seu lado sim.–

Deixo o taco em seu lugar, e com meu copo de whisky, me dirijo até o local indicado, pegar as três garrafas de Scotch Label, colocando-as em uma sacola. Volto para o bar e falo com Carmen.

–Esta aqui. Vai beber tudo isso? Daqui a pouco as pessoas vão chegar.-
NARRADOROntem às 18:14
Carmen:-"Quem disse que isso é para mim ?" pegando a sacola com as garrafas  as colocam em sobre o balcão "hoje quem virá busca-las é um convidado especial e ele ama Scotch ... Além disso ele ....

Derrepente , A mulher para e com a espécie de um olhar vazio, e deixa a garrafa com um whisky no valor de 500 euros cair ao chão ... é como se o tempo tivesse parado .Ela rapidamente pega controle do televisor com as mãos trêmulas e troca de canal e aumenta o volume do televisor ...

" Aqui é Mikaela Dyer  com NOTICIAS URGENTES sobre a manifestação dos direitos civis acontecendo neste exato momento é com você Lola Marques.


Lola Marques: É isso Mikaela a manifestação por direitos civis que se iniciou no cruzamento da Major Wesley com a Tenente Patrício, está tomando  um rumo grande . Os manifestantes declaram que a policia tem sido racista e ostensivamente violenta em suas abordagens no distrito de Blocos Cinzas , e agora a pouco eles travaram as ruas impedindo o nosso tradicional desfile cívico do dia 6 Junho. Os manifestantes declaram que exigem do prefeito uma postura de mudança com relação a essas abordagens policiais . E inclusive temos informações que a manifestação está sendo organizada pela jovem estudante de direito Jessica Lopez. A mesma que denunciou o caso de envolvimento com do ex vereador , O executivo Krauss Luca com tráfico  de Urânio durante a Guerra fria e Trabalho Escravo. Ela vêm ... AI MEU DEUS!!"

Neste momento um latão de lixo voa contra o desfile. homens e mulheres se reúnem  como tropas de uma legião de soldados romanos formando um cinturão impedindo o tráfego de pessoas.
>>
Heitor — ArgentumOntem às 18:18
Fico olhando a reportagem, e olhando também as reações de Carmen. Após a reportagem terminar eu falo

–O que houve? Você se assustou de um jeito... Tem algo mais acontecendo, além da manifestação não é? O que está havendo Carmen?-

Enquanto aguardo suas respostas, eu começo a limpar o chão, onde caiu a garrafa de whisky.
NARRADOROntem às 18:33
Carmen:-" uma pessoa vai morrer, e essa morte vai desencadear uma guerra."

Carmen retira baralhos de tarot do bolso e joga
e retira  , O eremita , O carro , A morte , A torre, O Louco ....
Algo vai acontecer e precisamos impedir
com as pupilas dilatadas e com os olhos esbranquiçados como se uma névoa os cegasse Carmen desmaia ...
>>
Heitor — ArgentumOntem às 18:44
Tiro uma foto rapidamente do jogo que Carmen fez com o Tarot. Guardo as cartas e a levanto Carmen com uma mão mágica feita de vento. Fecho a boate, e levo minha madrinha até o seu quarto, coloco-a na cama e coloco um termômetro embaixo de seu braço para saber se Carmen está ou não com febre. Deixo a TV ligada do quarto da mesma, para ficar atento as notícias.

O que diabos está acontecendo?

Olho para o meu relógio, dou corda e em seguida olho para o jogo na tela do meu celular, e tento decifrar as cartas. Após tentar decifrar, eu olho para o termômetro para saber a temperatura.
NARRADOROntem às 18:55
Primeiro Heitor tenta socorrer a sua mentora e consegue , ao averiguar a sua febre nota que a sua temperatura subiu vagarosamente ...
Ao tentar decifrar o jogo de Tarot devido ao nervosismo ele apaga a imagem de seu celular ao tentar abri-lo...
>>
Heitor — ArgentumOntem às 18:56
-Ahhh tecnologia desgraçada!-

Rapidamente eu tenho me lembrar da sequência de cartas, e escrever em um papel.
NARRADOROntem às 18:58
Ao tentar buscar na memória as imagens das cartas de tarot Heitor consegue lembrar de todas as cartas em uma seqüencia exata ...
O eremita , O carro , A morte , A torre, O Louco
>>
Heitor — ArgentumOntem às 18:59
Deixo anotado em um pedaço de papel e guardo no bolso. Em seguida, tento acordar minha madrinha.
NARRADOROntem às 19:23
-----------------------------------------------------------------------------------

Em Darkheaven  as manhãs são lindas , as tardes tristonha e as noites frias e funestas... Dark heaven é uma cidade de duas faces , uma sedutora e alegre a outra cruel e devoradora ... e poucos sobrevivem as noites de darkheaven fora de suas casas. Outros não sobrevivem , eles simplesmente são uma das facetas de Darkheaven e este homem é Mike Pruss...

Mike Pruss era homem de fé , todos os dias pela manhã rezava , durante as tardes mantinha a sua família reunida e feliz , a noite ministrava cultos em sua comunidade evangélica ... Bem esse era o Mike Pruss de fachada. Por baixo dos panos Mike é um gangster da pior índole . aqueles que estão por baixo de suas áreas são tratados como se fossem de sua propriedade .
Ele atua com extorsão , tráfico de drogas  e prostituição. Um canalha da pior espécie. Isso levou a uma de suas amantes putas a querer chantageá-lo caso ele não a assumisse como mulher . Mike a mostrou como assumiria . Uma surra que lhe rendera olhos roxos como ameixas , dentes em estados como sabugos de milho, e costelas partidas como uma costela suina em molho barbecue num churrasco de domingo de sol .
Após receber esse aviso prévio a tal puta chamada de Adhene a fugir.

Mas como as noites de Darkheaven tem seus predadores , um deles em especial é especializado em caçar . O nome dele é Frank Carlson , Frank fora contratado pelos homens de Mike para encontrar a tal puta . E Frank é o melhor investigador da cidade e possui olhos e ouvidos por toda Darkheaven . Encontrar a mina em um Bordel de luxo não foi difícil. Dificil é saber se vai entrega-la depois de passar 12 horas com ela deitada ao seu  lado ....
A televisão emite um chiado e a incomodante  luz azulada da tela ilumina os contornos do  corpo negro da mulher a dormir ao seu lado, sons de sirene permeiam por todos os lado e Frank come uma batata murcha de um lanche comprado no inicio da noite  enquanto estando nu ouve seu celular tocar ...
NARRADOROntem às 19:35
>>
Frank CarlsonOntem às 19:39
Após muito mastigar aquelas batatas sem gosto usava a língua para limpar o que restou dos dentes enquanto. Era de costume que números desconhecidos lhe ligassem então sequer se dava o trabalho de ver quem era, apenas atendia se levantando para não ser ouvido pela mulher ou acorda-la - Frank Carlson,  o que deseja ?  Respondeu no telefone enquanto olhava pela janela, um lençol cobria sua nudez
>>
NARRADOROntem às 19:51
Olhando pela janela , a iluminação precária deixa diversos pontos da cidade em escuridão completa . As sirenes do corpo de bombeiros iluminam alguns becos como se fossem pisca piscas em uma noite de natal. e a cada vez que iluminavam uma cena diferente era mostrada ...
Em um beco uma mulher que aparenta  ter 50 anos se drogra enquanto um jovem provavelmente inexperiente beijava-a em um sedento sexo oral .
Em outro beco um grupo de homens espanca um pobre coitado que provavelmente teve momentos de alegria e não quis pagar.

Frank ouvia a voz do outro lado do celular, devia ser a voz de algum capanga de Mike.
-"E ai Carlson , achou a garota faz 3 semanas que tu tá atras dela"
>>
Frank CarlsonOntem às 20:01
 - Achei sim, estava perto dela agora a pouco. E então... Já sabem como me pagar, vou mandar o endereço e fotos pro seu número  Disse ainda olhando para a janela, como se desconfiado, sentindo que alguém poderia estar o observando, por vezes se sentia paranoico, por fim a fecha e desliga. "Eu não posso lhe salvar das suas escolhas" Pensa após respirar fundo e vou procurar minhas roupas, tinha informações, fotos para mandar, iria terminar o trabalho
>>
NARRADOROntem às 20:08
-"Ok, mesma conta ?" O homem responde. E a mulher acorda. Os cabelos encaracolados dela parecem grandes nuvens ao entorno do seu belo rosto.
Ela se espreguiça e olha para Frank enquanto ele coloca suas roupas
-" Já vai amor ?" ela acende um cigarro da um trago -" como encontro você ??"
>>
Frank CarlsonOntem às 20:14
 -- Tenho de ir, é o trabalho... Não me deixa com muito tempo O pacote de batatas é pego e colocado sobre o colo dela, com um sorriso Frank lhe respondia - Deixei um pouco pra você... Eu passo para te ver depois que terminar, ok ? 
>>
NARRADOROntem às 20:21
Adhene :-" Esse trabalho tem algo a ver comigo meu bem ?" a mulher bate o cigarro no cinzeiro ... -" Frank você é um dos homens mais influentes de Darkheaven, você não acha que eu me envolveria só por você ser gostoso e um rostinho bonito não é meu amor ?" Ela levanta come mais duas batatas, o corpo da mulher estonteante iluminado pela luz singela da tv emite um brilho prateadamente azulado sobre seus contornos enquanto ela vai ao banheiro. -" Você acha que eu não sabia que estava atrás de mim ?" .
>>
Frank CarlsonOntem às 20:25
-- Sendo sincero ? ... Sim, ficaria surpresa com a quantidade de gente que gosta de mim sem motivos A conversa parecia seguir para um rumo interessante, então resolveu parar para a ouvir enquanto se encosta na parede -- Se não for por este rostinho, então por que ? Sou todo ouvidos 
>>
NARRADOROntem às 20:35
Adhene sai do banheiro após lavar o resto e retirar a maquiagem , são visíveis as marcas deixadas em seu rosto devido ao espancamento causado pelas mãos pesadas de Pruss, :-" Com certeza  Mike mandaria o melhor detetive da cidade atrás de mim." Pega um vestido pequeno e colado e começa a vesti-lo  enquanto continua... "Sabe porque Pruss me agrediu a ponto de quase me matar ? Foi por que  eu fui mulher o suficiente para encara-lo e dizer as verdades que ele não queria ouvir. Quando o ameacei a dizer que o filho dele não teria uma mãe puta enquanto os irmãozinhos riquinhos dele fossem criados dentro de uma igreja batista seguindo os preceitos de Deus ele enlouqueceu e tentou me matar" ...

>>
Frank CarlsonOntem às 20:42
 - Hum... interessante* Dizia enquanto balança a cabeça, era uma história comum para ele e ninguém era inocente nela, até ouvir sobre uma criança. Isso o fez mudar a expressão desinteressada para a olhar no fundo dos olhos, analisando se estava sendo verdadeira* - Filho ? Do que está falando ? Não lembro de informações sobre vocês terem um filho
>>
NARRADOROntem às 20:49
--" Bem vou te explicar meu benzinho quando uma fêmea bela e perfeita como eu pega um porco miserável como ele o melhor modo de se manter segura em um puteiro é ser a puta do chefe, e esses merdas só desejam ter todo tipo de prazer que não tem com suas mulheres belas , recatadas e santas de casa" Termina de se arrumar , e começa a se maquiar de frente ao espelho.  :--" Ele gozava sempre dentro de mim , e como puta particular do chefe eu deixava , simples assim ... A gravidez era questão de tempo.""

A mulher terminava de ajeitar a o cabelo e maquiagem e passava uma espécie de batom líquido ....

:--" E quando eu descobri já era tarde demais para tentar um aborto e decidi dizer a ele , e o filho da puta tentou me matar."
>>
Frank CarlsonOntem às 20:57
 -- Mas que porra mulher, isso era hora de contar essa história ? Com a mão no rosto pressiona o dedo médio e polegar próximo aos olhos para se livrar dos sinais do sono -- Acaba de colocar uma bomba no meu colo, mas para sua sorte, eu sei como desarmar Pegando o celular começaria a olhar a lista de contatos -- Você sabe que se não eu, outro vai te achar, não pode continuar na cidade... E eu, não vou ficar sem esse dinheiro, então vai ter de seguir o que eu disser
>>
Frank CarlsonOntem às 21:24
-- Agora senta aí e me escuta, porque vamos fazer o seguinte...
Frank faria a mulher gravar um vídeo falando sobre a gravidez e o homem, usaria o próprio celular da mulher alterando a data para um dia antes. Lhe explicava então sobre como realmente chantagear alguém grande, a mulher foi ingenua em ir direto contar para o pai da criança, o vídeo serviria de prova mesmo que ele conseguisse a matar, a única forma de tal video não ser divulgado era justamente a manter em paz -- Eu vou te mandar pra outra cidade com uma amiga, com o dinheiro que seu ex me pagou, então vou tirar umas fotos aqui, mostrar que te encontrei, peguei seu celular e achei o vídeo  Pensativo voltava a olhar para o celular -- Nessa vai ser dificil de receber... Bom, comece a juntar suas coisas  No restante do dia trabalharia na confecção de um novo documento para a mulher e entraria em contato com sua amiga Danielle para a receber após a viagem, na hora de enviar o endereço para o capanga do homem antes envia o vídeo junto de um audio falando - Acho que teu chefe vai querer ver isso aqui... Encontrei passagens na bolsa dela e esse vídeo no celular, a mina ta indo embora e não quer ser seguida, agora é com vocês, o que querem fazer ?  A passagem de que falava era um chamariz com endereço errado, na verdade contratava um motorista particular para a levar até Danielle
>>
NARRADOROntem às 21:32
Após executar um plano de contingencia muito bem elaborado Frank Carlson consegue levar manter Adhene em segurança. Os homens de Mike Pruss tentam encontrar Adhene antes que ela deixe a cidade mas devido as revoltas que aconteceu nas ruas mais movimentadas de Darkheaven , não conseguiram rastrear a mulher...
-----------------------------------------------------------------------------------
Enquanto bebia em meio ao caos que acontecia nas ruas centrais de Blocos Cinzas, um homem maltrapilho observava pela televisão o caos que se formava .
As ruas se tornavam uma zona de guerra . Relembravam as manifestações de BlackBlocks no país de terceiro mundo Brasil ...
Desejando a embriaguez do alcool como bálsamo para suas feridas internas , o homem observava a onda de violência se espalhar pelas ruas como se fosse um rito berserker antigo ...
Jovens corriam de um lado a outro , disparos de gás lacrimogêneo visava afastar os mais medrosos, a adrenalina causava um furor no homem que sentia a embriaguez se esvair e dar lugar a uma excitação incrivelmente unica... Tanto sangue dor , o cheiro do gás trazia momentaneamente lembranças do inferno... O desejo de ver a alma mais incauta e perdida e corrompe-la deu um ímpeto ao Homem que quando já havia se dado por si estava de frente aos conflitos ... Porém permanecia invisível como sempre ...
>>
RogerOntem às 21:49
sentia o coração apertar um pouco entre um gole e outro, ver os homens se destruindo normalmente me trazia algum jubilo, eram crianças ingratas pelos presentes que receberam afinal, observava a tela de televisão com o antigo odio quase reavivado, pois quando passava em sua mente a ideia de levar terror as pessoas, abrir as assas e deixar o velho odio correr e influenciar massacres ainda maiores acabava lembrando de sua filha... nem sabia que idade ela teria agora... bom não era sua filha mais tambem era, bebia um novo gole sentindo a pressão nas costelas diminuirem como se antes as minhas assas batessem contra os ossos tentando atravessa-los, novamente eu estava amando os homens mesmo que esse amor se restringisse apenas a minha familia que em real nem se importava comigo direito, esse amor me fazia lembrar das velhas lembranças do antigo amor pela humanidade quando ainda iniciavam e eu me sentia pesado, achando que itnha me livrado desses grilhões contudo eles me puxavam novamente
>
NARRADOROntem às 22:03
Em meio a disparos de tiros de borracha, jovens com os rostos cobertos correndo de um lado a outro ,Roger vê a sua frente, como uma ariete um veiculo blindado dando jatos e mais jatos de pressão d'água visando separar e dispersar a multidão ... Ele observava incauto toda aquela anarquia... Até que ouve uma voz em meio a multidão que como imã puxa sua atenção .

"Malditos Porcos Segregadores, Vocês acham que o povo é seu gado para sermos dispersados e controlados em nossos conjuntos habitacionais como currais ? Poder Para o Povo !!!"
A voz revoltada relembrava a Ariel a rebeldia contra as hostes ditatoriais angelicais dos céus, e a Roger trazia a memória de uma pequena e feliz garotinha que inconformada a ver seu pai ao chão em meio a um disparo de gangues  ...

Aquela jovem destemida e Rebelde bradando cantos de guerra a um megafone era a filha de Roger...

>>
RogerOntem às 22:09
Olhava surpreso aquilo.... adolescente? desde quando? quando tempo ficou ... sentia as mãos ficarem mais tremulas e o peito doer, deixava de lado a garrafa soltando-a no chão e corria em direção a ela com tantas perguntas na mente, será que ela se lembraria de mim? fazia quantos anos que não nos víamos? será que eu estava fazendo algo acertado? abria caminho em meio a multidão afastando os corpos e empurrando um ou outro para me dar passagem em meio aquele mar de gente e ao chegar ate ela dizia - voce não pode ficar aqui Michelle  - gritando e a puxando para perto de mim em meio aquele  caos da aglomeração
>
NARRADOROntem às 22:17
A Jovem começa a se debater, gritando para que seja solta.
:--" Socorro !! Me solta !! eu não te conheço." .
Tentando em vão se debater contra a força do homem , a jovem se debatia e nem ao menos olhava para o homem...
:--" Meu nome é Jessica Lopez seu louco !!" Gritava e experniava a jovem .
>>
RogerOntem às 22:18
será que aconteceu? eu estava ficando louco? balançava a cabeça  dizendo - Michellle... sou eu... não lembra de mim? - falava a puxando com mais força contudo tentando não a machucar, tentando a levar para longe daquele caos passando uma mão na barriga dela enquanto com a outra abria caminho para sair dali
>
NARRADOROntem às 22:27
Com sua força altamente superior , o homem suspende a jovem.
Evitando as aglomerações ele segue o seu pensamento que ele crê que seja sem equívocos e abre caminho a força ... As pessoas se amontoam umas sobre as outras com paus e pedras , a anarquia dá lugar a oportunidades de saques ... Quando uma explosão se é ouvida .
Um destacamento de elite ruma em direção a Roger ..
Ele observa  cerca de 5 homens com vestes táticas se aproximam com escudos de contenção de choque protegendo algo que se aparenta ser o comandante do destacamento
>>>
RogerOntem às 22:29
tentava desviar do encontro com a elite se não fosse possivel , abriria caminho por eles
>
acontecia rapido e por reflexo , colocando a mão a frente do corpo , um vislumbre do meu verdadeiro ser, simultaneamente animal e humano possuia um rosto como um leão e cascos, corpo visivelmente poderoso avançando enquanto me preparava para atravessar a parede de escudos
>
NARRADOROntem às 22:46
Uma onda de chamas consome irrompe o homem uma fera infernal toma o lugar do homem . As chamas dos casco derrete o solo . Cheiro de enxofre permeia o local os homens da lei que ali se despunham a ir contra a criatura infernal caem apavorados e em um delírio completo de horror e medo.  O cheiro do enxofre se une ao cheiro da urina dos homens perante a face infernal do demônio Ariel ...
 Porém imóvel está aquele que deveria ser o comandante do pelotão .

Uma voz surge do capacete
:--"Você novamente Ariel... Te mandar para o inferno novamente é será um grande problema ...
O homem avança contra Ariel dando três tiros de Pistola
A bilis verde verte do peito de Ariel , Ariel sente a dor da batalha e relembra as disputas de força dentro das arenas do Sheol ....
>>
RogerOntem às 22:52
tiros vindo em minha dirreção inicialmente me movia para que nenhum atingisse michelle, e depois a soltava e dizia - fuja.... - respirando fundo me voltando para o homem apos os disparos terem atingido minha pele endurecida e uma clava se manifestava em minhas mãos, meu primeiro presente aos homens, a primeira arma empunhada e logo enquanto pisava no asfalto derretido falava com uma voz contida para não sair um trovão - quem é voce?
>
NARRADOROntem às 22:55
O par de pistolas emite um brilho com um coloração Púrpura ...
--Você não lembra ? HAHAHHA, Eu vou te enviar novamente para Sheol e você lembre-se de não sair de lá até que eu venha comer o coraçãozinho dessa Humaninha .... E o coração ainda anda partido ??

>>
RogerOntem às 22:59
respondia -- Então é por vaidade que vem me desafiar? que seja, detesto vaidade, faz você achar que pode coisas que na verdade não consegue, venha a mim e veremos quem da um fim a quem -- diante das palavras quase que rugindo, avançava balançando a clava contra o inimigo a frente
>
NARRADOROntem às 23:11
Ariel balança a clava e atinge com toda a força o oponente que é atingido em cheio e lançado até o blindado... o corpo do homem se parte e e o capacete se racha e se rompe ....
revelando a face do homem .. Um homem branco com cabelos loiros com o nariz quebrado e cuspindo sangue ele olha para Ariel e cospe blasfêmias enquanto as ferragens do veiculo blindado rasgam os músculos e as entranhas do estranho que aos poucos se torna menos estranha...
:"-- Cof Cof Cof ,, Arrrrgh porra ... Continua batendo doído né filho da puta, hhehehe eu fou te matar , fou te begar, cortar a sua cabeça e trepar com a sua querida Jessica, é esse o nome desxa vadia Michelle nessa fida né ....
>>
RogerOntem às 23:16
fazia um gesto com a mão e fazia a blindagem destruida do semi lagarta dobrar e prender o homem enquanto caminho na dirreção dele
>
NARRADOROntem às 23:17
>>
RogerOntem às 23:19
apenas segurava a cabeça da criatura e a puxava quase tão facilmente como puxaria a rolha de alguma garrafa e a observava como que esperando ele responder e ate perguntava - quem é você? - eu tinha conseguido inimigos durante essa eternidade mais não me recordava de alguém com o poder desse em especial embora poderia ser qualquer demonio, me demorava alguns segundos para ve-lo responder, se não ocorresse jogaria a cabeça fora e tentaria sair daquele lugar que agora estava vazio
>
NARRADOROntem às 23:27
Ao puxar a cabeça do homem e vê toda a carne dele se desfazer em putrescencia pura, a carne da lugar da uma colônia de vermes roxos que se desfazem em pús e pedaços de sangue coagulado ...

>>
RogerOntem às 23:29
afastava-me, não reconhecia de vista aquela magia, contudo saindo da rua agora deserta e tentando me afastar de locais abertos logo começo a sentir uma dor terrível no peito - d...droga... agora não - gemia para mim mesmo enquanto me ajoelho despido da majestade assustadora de sua forma corrompida de querubim, agora era um homem vomitando o excesso de alcool que tomou e a beira de um ataque cardiaco, tentando agarrar no bolso do casaco os remedios
>
NARRADOROntem às 23:33
Ao procurar os remédios no bolso do casaco nota que eles não estão ali
e que a sua frente a jovem Jessica Lopes os entrega.
com o braço estendido e em prantos ela entrega para o homem e diz com um olhar assustado...

--Vovô ??

------------------------Término da Sessão---------------------------------------
Epílogo
NARRADOROntem às 23:52
"O em um dia em Darkheaven é a coisa mais incrivel que pode se acontecer ...  No inicio do dia um homem invisivel a noite se torna o centro  das atenções . Um Investigador corrupto tem um pequeno ato de redênção .Um estranho de outras terras se é mais humano que todos a sua volta . Um mago farrista se vê a frente de um destino glorioso !!!"

 Um homem conversa com outro no alto de uma torre. Os homens negros vestidos ambos ternos de linho fino bebem vinho enquanto conversam...
:--"O destino desta cidade irá mudar Hugin"
--"Pode ter certeza Mugin"
....

Em uma autoestrada de via expressa um homem barbudo vêm acelerando feito louco, cortando carros e caminhões e em meio a xingamentos de outros o homem ruma em direção a Darkheaven , com uma mão no volante ele pega um celular e liga , Dá três toques e cai na caixa de mensagem ...
O velho barbudo deixa a mensagem:
--" E ai o Bunda de Seda ficou sabendo do que houve ? Alguma coisa abalou os meios de comunicação em toda região ... a última vez que isso ocorreu foi durante uma tempestade que teve em 1666 ... Se liga coloca oléo nas peças que papai tá chegando e vamos caçar!!
Longe dali Frank Carlson cantarola alguma canção dos beattles no chuveiro e não nota a chamada perdida ...
Ela notificava um nome ...
AEGIS.

Fim da sessão

sábado, 28 de março de 2020

Trevas na Terra de Santa Cruz


O Bradador

Ainda estou em fortaleza, contudo preparo-me para voltar a estrada pois o que tinha que fazer fora feito e não sou um homem dessa cidade. Pensativo sei que não conseguiria viver aqui como a sombra do passado que sou e pelo fato de que minha presença parece ofender alguns dos homens modernos que aqui vivem. As cidades tornaram-se centros de luz nesse mundo escuro onde aqueles que aqui vivem estão longe de serem expostos a perigos que agora tenderam a ser esquecidos, espero que se tornando homens melhores.

Minha vida foi longa e repleta de aventuras contudo mesmo não estando tão próximo do fim por circunstancias naturais já faz alguns anos que temo por minha alma ou minha próxima vida, como desejar se referir a mesma. Muito do meu temor vem da certeza que a maldade não fica impune nesse mundo, as trevas como um animal faminto espreita as encruzilhadas e as selvas devorando e consumindo todos aqueles que lhe são próximos e dessa predação nem todos são relegados ao descanso frio e insensível no chão envenenado de uma estrada maldita, a esses esquecidos creio que a sina se completou e foi piedosa.

"Depois de morto não há mais tempo para cultivar o bem"


Existem aqueles que não possuem direito ao esquecimento, ao descanso ou a uma cova de indigente sequer e o mundo esta cheio de exemplos, das feras transmorficas que assombram estradas na quaresma ate almas descarnadas que buscam matar os vivos, anos atrás quando meus irmãos ainda viviam me encontrei um desses seres que talvez seja aquele a qual estou destinado a me tornar.

Minha juventude não foi exemplar, embora fosse a vida que eu conhecia na companhia de bandeirantes junto com um sem numero de bastardos, andando ao lado de nossos pais ou senhores aprendíamos lealdade absoluta a eles como guerreiros assumindo nosso papel como seus soldados numa guerra que nunca fizemos questão de compreender, matávamos índios para lhes tomar as terras, capturar e vender como escravos ou para gerar terror na região, bárbaros e poderosos, vivíamos na ponta da faca e ignorantes que éramos não compreendíamos outra vida possível, já homens feitos com nossos senhores tendo morrido ainda vivíamos em nossa vida de bandeirantes, bandidos, saqueadores e assassinos.

Na escuridão de uma das estradas de Diamantina jantávamos nos preparando para dormir quando um dos meus irmãos me avisou de um homem andando sozinho na estrada, era apenas um homem e não parecia estar carregando carga por isso julguei que não valeria o esforço de ir ate o mesmo pois ele não teria o que ser levado, tal foi nossa surpresa quando  o primeiro grito veio agitando os cavalos e acordando os que já estavam adormecidos a reação inicial foi rápida, um dos que acordou chutou barro para a fogueira e a apagou embora o barulho dos cavalos nos fizesse ter certeza que aquela monstruosidade viria ate onde estávamos.

Os segundos que se passaram eram longos e o suor nos descia mordendo a pele na noite, o vento frio balançava as arvores e cada grito era maior que o outro, antes do terceiro grito todos estávamos erguidos e de armas em punho, éramos 10 mestiços, armados e aguerridos, éramos 10 bandidos perigosos e que já mataram muitas pessoas e nada disso parecia importar ali.

Minhas mãos estavam geladas ainda que apertassem as armas, meu coração batia forte como se saltado para a garganta, o suor passava por meu rosto quase pingando em meus olhos enquanto ouvíamos o monstro se aproximar, seus passos quebrando galhos e esmagando plantas pequenas, claro que vinha ate nos com o barulho dos cavalos ficando cada vez pior e os gritos, eles ainda me assombram a noite, uma mistura terrível de raiva e dor, após o quarto grito tornaram-se tão altos que senti vontade de largar as armas e me encolher tampando meus tímpanos contudo estava decidido a morrer com armas em punho. Um dos meus irmãos foi mais pragmático e cortou os laços que seguravam os animais, em tropel nervoso os cavalos se perderam na mata e com o barulho das montarias fugindo o monstro disparou em seu encontro, seguindo a presa errada e nos ignorando.

Pela manha já longe do ponto onde encontramos o monstro estávamos sendo recebidos por uma mulher em sua pequena casa de beira de estrada que não parecia nos temer por saber talvez que ela pouco tinha e nada do interesse de ninguém. Lhe perguntei da existência deu um louco na estrada, esperando uma resposta mundana para o que presenciamos, lhe contei o que se passou e ela me contou a historia do feitor de uma fazenda de cana que morreu após uma revolta dos escravos do local que aconteceu enquanto ela era ainda pequena, sua mãe lhe contou que o feitor, homem monstruoso que era, foi barrado de entrar no paraíso e o inferno não lhe recebeu, por fim a terra lhe rejeitou e o mesmo persiste como monstro desmorto a assombrar as paragens agarrando-se em arvores e gritando nas estradas, após deixarmos diamantina me juntei a uma escola de jesuítas para mudar minha vida contudo mesmo hoje sei o destino que me espera quando finalmente morrer.

sábado, 8 de fevereiro de 2020

Para Baixar

O Manual de Campo do Psiconauta

Creditos de tradução para Quadrinhos Inglorios


O Manual de Campo do Psiconauta é um guia para a magia do Caos bem humorado. Criado por Bluefluke, esse é um trabalho incrivelmente consistente, capaz de demonstrar que, através da flexibilidade do nosso sistema de crenças, é possível se utilizar dos estados alterados da consciência para alcançar uma experimentação mais intensa da realidade.

O Manual de Campo do Psiconauta